domingo, 7 de novembro de 2010

Polêmica da Lei das Cadeirinhas para Carro

Pensei muito antes de colocar este post, pois vou correr o risco de ser mal interpretada. Mas este assunto está em minha garganta (ou meus dedos) há tempos.

Antes de mais nada gostaria de falar que sou SUPER a favor das cadeirinhas, minhas filhas só andam nas cadeirinhas delas. É imprescindível para a segurança dos pequenos. Na estrada então só na cadeirinha!

Claro que isto acontece em 90% do tempo e sempre vai existir os 10% em que é preciso irem no colo por diversos motivos.

Por isto sou completamente CONTRA a lei das cadeirinhas, da forma que ela foi formatada, não tem excessões, ou melhor, tem quando interessa.

Exemplificando minha posição. Estou no trabalho atarefada e longe, se uma das minhas filhas passa mal e tem que ir no médico, ou simplesmente tem que ir para a casa da Tia porque vou me atrasar. Não podem, pois as cadeirinhas estão comigo. Minha sogra quer pegá-las em casa para dar uma volta por perto. Não pode, pois as cadeirinhas estão no meu carro, e para quem já montou as cadeirinhas sabe que estas grandes não são tão simples de ficar passando de um carro para o outro.

Mas... como a formatação da lei é duvidosa, podem ir de taxi, de ônibus ou de carro velho que tenha cinto de segurança abdominal... ora esta, em ônibus sem cinto NENHUM pode, em taxi que eu não sei quem estará dirigindo pode... mas a minha cunhada que dirige bem e eu conheço há anos... não pode!

Outro exemplo prático... há cerca de um mês fui a São Paulo no final de semana, tive que deixar as meninas (e as cadeirinhas) no Rio. Já pensaram em como eu ia fazer com 2 crianças de 2 anos e 2 cadeirinhas ENORMES no aeroporto? Como carregaria? Como despacharia? Poderia ir no banco do avião? Óbvio que não!
E deixando as cadeirinhas e levando as filhas, ao invés de andar de carro como fiz o final de semana teria que me locomover apenas de taxi ($$$) com algum motorista desconhecido sendo que meu primo que nos levava para os lugares nunca bateu o carro?!

Um último exemplo para fechar... eu tenho carro... mas muitos brasileiros não tem mas tem filhos pequenos. Se não tem carro, posso deduzir que a maioria não tem por falta de dinheiro. E não podem pegar carona com ninguém, melhor ir de taxi gastar um dinheiro que fará falta, ou ir de ônibus com mais risco sem cinto e ainda mais possibilidade de assaltos, espera em pontos por tempo indeterminado (sabemos que os ônibus, pelo menos aqui no Rio não são uma maravilha). Pois se forem de carona o motorista pode ser multado e perder pontos na carteira. E a criança não pode seguir no carro, os policiais estavam encaminhando as pessoas para taxi!!!! Qual a diferença?!

Claro que ninguém está livre de acidentes, por isto o nome acidente (evento indesejável e inesperado que causa danos)! Mas entre correr risco com minhas filhas soltas em um ônibus ou taxi ou no carro de parentes, prefiro a terceira opção.

Desculpem o desabafo, mas acredito que não sou a única a pensar assim. Diversas pessoas que conversei também acham a lei, da forma que está formatada, absurda. Concordam que a cadeirinha tem que ser sempre utilizada, mas que excessões existem e não podem ser ignoradas.

Então como deveria ser a lei, na minha simples opinião:

O carro é meu, e as filhas são minhas... MULTA se não estiverem nas cadeirinhas. Ou seja, todos deveriam andar com documentos das crianças e se quem estiver dirigindo (dono do carro) for o responsável legal, tem que andar na cadeirinha, se é transporte escolar, só na cadeirinha (hoje não é obrigatório!).
Outros casos dentro de cidades seriam liberados com aviso, lembrando da importância da segurança das crianças.
Fora da cidade, em estradas estaduais ou federais, só na cadeirinha, independente de ônibus, taxi, carro velho, novo e etc... TODOS em estrada deveriam estar com as formas corretas de se trasportar crianças.


Para não acharem que estou exagerando segue trechos da lei:

"Quem descumprir a regra poderá ser multado em até R$ 191,54, mais sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação.(...) A resolução não se aplica para veículos de transporte coletivo, táxi e veículos escolares."

E também mais de 30% dos carros não são obrigados, pois tem isenção da penalidade para os carros que não possuem cinto de três pontos no banco traseiro.
Concorda comigo? Não concorda? Opine!

7 comentários:

Uma quase mãe disse...

Vc está certíssima: a lei da cadeirinha não tem nada de prática! Quem deve ter feito esta lei, provavelmente, não tem filhos....

Ana Cecilia disse...

Comcordo com tudo.. Nao poderia escrever melhor.
Beijos!!
Ana Cecilia

Juá disse...

Baby Meeting For Special Moms

Olá! Convidamos você a participar do Baby Meeting (convite: http://ow.ly/36iyC Facebook: http://ow.ly/36iIA). Por favor, se possível, publique o convite no seu blog para que suas visitantes também possam participar.

Um abraço!

Folhetim Cultural disse...

parabéns pelo blog...e pelo trabalho.
Eu tenho um gostaria que você pudesse visitar este é o link http://informativofolhetimcultural.blogspot.com/
espero que goste! Abraços

Ass: Magno Oliveira

Day Delphino disse...

Olá. Tb concordo acho essa lei muito falha e acredito que o interesse maior dela (infelizmente) seja a arrecadação (como a maioria das multas aplicadas), pois ninguém zela mais pela segurança dos filhos do que os pais. Meu carro não entra na lei pq é velho como vc disse (corsa 95), mas minha filha de 2 meses só anda no bebê conforto, pq eu acho muito mais seguro do no meu colo.
Mas se entrasse na lei... Ela tem dois meses e mama a hora que tem vontade, e qdo tem vontade grita muito e tem que ser atendida então tenho que pega-la no colo pra amamentar, uma amamentação as vezes dura de meia hora a 40 min. não dá pra ficar com o carro parado esse tempo todo, e dependendo da estrada nem dá pra parar.
A pergunta é nesse caso, com a nenêm no colo seria multada?

Fernanda disse...

O problema é que no Brasil as leis são todas pela metade, mal formuladas; e ainda existe uma "máfia" exatamente para a obtenção de lucros, seja por parte das multas ou pelo próprio fabricante das cadeirinhas.

Anônimo disse...

Apoiada!

Essa lei realmente é falha. A primeira coisa que pensei quando vi a lei foi exatamente isso que você disse: "então não podemos mais dar carona para uma criança!". Eu não tenho filhos, mas tenho sobrinhos, afilhados, filhos de primos, etc. Sempre carrego um ou outro comigo (buscando ou deixando na escola, levando para passear, etc). Agora não posso mais!!

Infelizmente essa lei tem cara de lobby dos fabricantes que agora estão vendendo montes de cadeirinhas.